Copa dos Refugiados: Marrocos e Nigéria disputam a grande final no Pacaembu, no próximo dia 24

No último final de semana (16 e 17), a Copa dos Refugiados teve as etapas eliminatórias para decidir os finalistas. Marrocos e Nigéria se classificaram para a Grande Final e uma deles irá erguer a taça dos campeões, no próximo domingo (24), no Estádio do Pacaembu

No sábado (16), a disputa aconteceu no Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador – Ceret Tatuapé, no Jardim Anália Franco, em São Paulo. As 16 equipes: Angola, Benin, Camarões, Colômbia, Gâmbia, Gana, Guiné Bissau, Guiné Conacri, Iraque, Mali, Marrocos, Nigéria, República Democrática do Congo, Síria, Tanzânia e Togo, contendo 250 jogadores lutaram pela classificação.
O primeiro confronto entre Benin e Togo terminou em 0x0 e foi decidido nos pênaltis. Em seguida, Camarões venceu a Tanzânia por 4x0, se classificando para a disputa das quartas de final.
No jogo entre Colômbia e Gâmbia, quem levou a melhor foi Gâmbia, que venceu o rival latinoamericano por 1x0. Gana e Marrocos empataram em 1x1, mas o Marrocos acabou vencendo por 2x1 nos pênaltis. Já na disputa entre Guiné Conacri e Nigéria, a Nigéria venceu por 1x0, resultado bem diferentemente da sua homônima, a Guiné Bissau, que venceu a República Democrática do Congo por 1x0.
Na disputa entre Mali e Síria, deu empate e a Síria venceu por 3x2 nos pênaltis. O último jogo do dia, Angola contra Iraque, também teve empate e terminou com o placar de 2x1, dando ao Iraque a classificação.
No domingo (17), as equipes de Camarões, Gâmbia, Guiné Bissau, Iraque, Marrocos, Nigéria e Síria e Togo disputaram as quartas de final, na parte da manhã, no Parque da Aclimação, em São Paulo. À tarde, houve três jogos: semifinais e definição da terceira colocação.
No primeiro jogo, a equipe do Togo eliminou a Gâmbia por 1x0. Marrocos venceu Camarões por 7x6 nos pênaltis, depois do empate de 1x1. Já a finalista Nigéria, eliminou a Síria por 3x0. Guiné Bissau teve vitória sobre o Iraque por 3x1.
Semifinais
Nas semifinais, Marrocos vence a equipe do Togo por 1x0 e Nigéria elimina Guiné Bissau também por 1x0, se classificando para a Grande Final, no próximo domingo, dia 24/09, às 15h, no Estádio do Pacaembu.

 

Todos estão convidados para esta linda festa da integração entre pessoas que se encontram em situação de refúgio, imigrantes e a população brasileira, dando demonstrações mútuas de amizade, fraternidade, solidariedade, respeito e acolhimento.
Terceiro lugar
Na disputa pela terceira colocação, Guiné Bissau e Togo lutaram pela vaga. Guiné Bissau fica com o título.
Premiação
A equipe vencedora levará a taça do campeonato. Haverá também medalhas para todos os participantes
O campeonato

 

A Copa dos Refugiados é uma iniciativa da ONG África do Coração e o objetivo de seus idealizadores, como explica o presidente da entidade, Jean Katumba, é promover a integração social de refugiados e imigrantes no país e também dar visibilidade ao drama das pessoas em situação de refúgio, que deixaram seus países de origem, fugindo de guerras e situações de violações de direitos humanos. A primeira edição do evento ocorreu em 2014.

"A Copa dos Refugiados tem como intuito integrar e inserir o refugiado e imigrante na sociedade brasileira por meio de algo extremamente simbólico para o país, que é o futebol. Porém, vemos a Copa dos Refugiados como algo muito além da competição, dos jogos em si, mas como uma oportunidade para chamarmos a atenção para a causa dos refugiados, situação que muitos brasileiros ainda desconhecem e muitas vezes, ouvem a palavra refugiado com desconfiança. Buscamos divulgar a causa e ampliar o entendimento do povo brasileiro sobre essa questão tão dramática, ajudando dessa forma também, a ampliar a capacidade de acolhimento e solidariedade dos brasileiros (que nós sabemos que é grande) em relação aos refugiados", afirma Katumba, que é da República Democrática do Congo.

Refugiados no Brasil e no mundo

Conforme levantamento do ACNUR, divulgado em junho deste ano, o contingente de refugiados no Brasil teve um aumento de 9,31%, elevando o número de 8.863 em 2016, para 9.689 em 2017. De acordo com o relatório, além dos refugiados reconhecidos, 35.464 é o número de pessoas que em busca de proteção, solicitaram asilo e estão abrigados estão no país atualmente. Até o final de 2016, o Brasil reconheceu 9.552 refugiados de 82 nacionalidades.

Os países que tiveram maior número de refugiados reconhecidos no Brasil foram Síria (326), República Democrática do Congo (189), Paquistão (98), Palestina (57) e Angola (26).
Já os países com o maior número de solicitantes de refúgio no Brasil em 2016, foram: Venezuela (3.375), Cuba (1.370), Angola (1.353), Haiti (646) e Síria (391).

Ainda de acordo com o ACNUR, o mundo atingiu no último ano o número recorde de refugiados já registrado na história, contabilizando 65,6 milhões de pessoas que foram obrigadas a abandonar seus países de origem por conta de guerras, violências e perseguições políticas.

O conflito na Síria eleva o país à condição de nação com maior contingente de refugiados no mundo, com 5,5 milhões de deslocados, seguido pelo Sudão do Sul, que após ruptura de acordos de paz a partir do ano passado, já contabiliza 1,4 milhão.

A dramática situação dos refúgios atinge também as crianças, que somam metade dos refugiados de todo o mundo. 75 mil solicitações de refúgio foram feitas por crianças que viajavam sozinhas ou separadas dos pais.

 

Serviço
Grande Final da IV edição da Copa dos Refugiados
Data: 24/09/2017 - às 15h
Local: Estádio do Pacaembu

 

Por Sibele Martins, jornalista voluntária da África do Coração

Laisser un commentaire

Votre adresse de messagerie ne sera pas publiée. Les champs obligatoires sont indiqués avec *